T-Rex nunca tira férias da segurança.

Nesse período de planejar passeios e viagens, conte com nosso app pra estar sempre tranquila e aproveitar todos os momentos.

Viver tranquila é saber que as pessoas que você ama estão em segurança.

E nesse mês de férias e passeios, a tendência é que jovens queiram fazer seus programas e passem mais tempo longe dos seus olhos.

Uma das maiores questões quando o assunto é celular é a bateria. Quando ela acaba, te deixa cheia de preocupação por não conseguir falar com seu filho, certo?

Além de acompanhar os passos e dar detalhes em tempo real onde a pessoa que você ama está, T-Rex tem um alerta específico de bateria.

Quer aprender a configurar? Veja como é fácil e prático.

Primeiro passo: Abra o T-Rex e selecione a pessoa de quem você gostaria de receber os alertas. Clique no ícone de configurações.

Segundo passo: Ative o alerta “Nível mínimo de bateria” e defina quanto de bateria a pessoa precisa ter para você ser avisado (Ex: 15%). Depois é só clicar em “Salvar”.

Ou clique aqui e assista nosso vídeo sobre como configurar este (e outros) alertas!

Se ainda não tem T-Rex, baixe agora. Basta entrar na Google Play ou App Store, procurar o nome do app e instalar.

Férias em outro ritmo: viaje com seu idoso preferido!

Reunimos dicas preciosas para esse passeio ser incrível e confortável para todos.

 

O destino

Ao viajar com uma pessoa mais velha, é sempre importante pensar não apenas no deslocamento, tentando evitar voos com muitas conexões ou esperas longas demais em aeroportos, como também na acessibilidade do seu destino. Verifique se o local é amigo dos idosos, se tem muitas escadas, dificuldade de encontrar banheiros ou se é preciso fazer muita coisa a pé ou de transporte público etc.

A precaução

Fundamental avisar o médico do idoso, mesmo que por telefone. Só ele poderá dizer se o paciente está mesmo em condições seja para enfrentar horas no avião ou dias longe de casa ou dar receitas que possam ser necessárias. O médico também pode dar bons conselhos de como minimizar os efeitos da viagem.

A saúde

É uma dica que vale para todas as idades. Seguro saúde é essencial para viajar tranquilo e hoje temos muitas opções práticas, em que você pode contratar e fechar tudo pela internet. Muitos cartões de crédito também oferecem esse tipo de assistência. Consulte o seu para saber se você tem direito.

A mala

Às vezes os idosos não se atentam para detalhes. Não custa fazer uma listinha, entender como vai ser o tempo no destino, escolher sapatos confortáveis e lembre-se: eles tendem a sentir mais frio.

Os remédios

Grande parte dos idosos precisam usar medicamento de uso contínuo que não podem ser esquecidos em hipótese alguma. Imagine ter que parar a viagem para se consultar com um médico, só para pegar a receita do remédio do coração que foi deixado em casa? Uma dica boa é colocar os remédios naquelas caixinhas de plástico separadas por dia para facilitar a vida. E sempre leve uns a mais porque voos podem ser cancelados ou a viagem pode ser mais demorada do que o planejado.

O tempo

Viajando com um idoso, o tempo da viagem vai ser outro. Aproveite para entrar em outro ritmo, fazer as coisas sem pressa e relaxar. Programe menos atividades por dia e, claro, não faça grandes caminhadas. Outra dica boa é sempre considerar uma paradinha para o descanso. Um café, um suco ou simplesmente ficar vendo a paisagem e a vida passar.

 

Lugares interessantes para viajar com os mais velhos? Temos.

Se a ideia for descansar nas montanhas com um friozinho, Monte Verde, em Minas Gerais é o local ideal.

Holambra é um destino delicioso para passear e contemplar paisagens e flores.

Você também pode optar por um lugar em que, além das paisagens, vocês possam degustar deliciosos vinhos e até fazer tratamentos de beleza e relaxamento: o Vale dos Vinhedos, no RS.

Caldas Novas já é, há tempos, destino preferido entre idosos por seus tratamentos terapêuticos.

E se a ideia for sair do país, escolha a pertinho, charmosa, cheia de passeios e ótimas opções gastronômicas: Montevidéu.

Enfim, seja qual for o destino, o importante é levar em conta aspectos como infraestrutura, segurança e tranquilidade. E boa viagem.

 

Fonte: Revista Veja – Tatiana Cunha

Foto: Freepik

Dormir bem para viver bem.

Vamos analisar seu sono? Entenda como uma noite conturbada pode impactar na sua ansiedade e preocupação.

Muito já é sabido de como o sono pode interferir na nossa rotina. E se queremos ter um dia a dia leve e tranquilo é bom se atentar para questões simples, porém importantes.

Por exemplo, se você dorme mal e anda muito ansiosa ou até depressiva, saiba que os problemas podem ter ligação. Quem dorme seis horas por noite tem duas vezes mais propensão a desenvolver estes problemas do que quem dorme oito horas, mostrou uma pesquisa recente.

Os pesquisadores descobriram que a relação entre falta de sono e problemas psicológicos é complexa porque também é possível que a falta de sono seja justamente um dos sintomas de ansiedade e depressão. Inclusive, o aumento do estresse em jovens do mundo todo pode ter sido causado por esse estilo de vida acelerado que nos levou a dormir menos.

Para entender melhor, as primeiras horas do sono até ajudam na recuperação metabólica e do vigor físico, mas não contribuem para uma parte muito importante do desenvolvimento mental.

 

O que o sono tem a ver com seu trabalho?

Sabemos que uma noite mal dormida tem tudo a ver com o nível de produtividade no trabalho. Mas os danos vão muito além disso.

Por exemplo, você pode ter a memória bastante prejudicada. Isso porque o processo de fixação de lembranças acontece no estágio mais profundo do sono, conhecido como R.E.M. (“movimento rápido dos olhos”, na sigla em inglês).

A fase R.E.M. também é responsável por estimular nossa capacidade de ter ideias originais. É nesse momento de intensa atividade cerebral que acontecem os sonhos. Quando você não atinge esse estágio, sua capacidade criativa pode ser limitada.

A falta de sono também pode nos deixar mais reativos e impulsivos. No ambiente de trabalho, isso dificulta processo de comunicação, a criação de empatia e a socialização. O sono pode ser o melhor amigo ou inimigo da inteligência emocional e na nossa capacidade de respeitar o outro.

 

E qual o sono perfeito?

Segundo especialistas, a duração ideal do sono varia de acordo com a nossa idade. Adolescentes devem dormir em média 9 horas, enquanto jovens adultos precisam de 8 horas. Idosos já se beneficiam com 6 ou 7 horas de descanso.

Cuidado também com o exagero. Dormir demais pode ser prejudicial porque o sono em excesso gera cada vez mais preguiça. Você já teve aquela impressão de quanto mais dorme mais sono tem? É isso. Além disso, as horas a mais podem afetar o raciocínio e atrapalhar o foco.

Nosso sono não é igual a noite toda, então dormir pouco ou dividir o descanso com sonecas pode impactar – e muito – seu desenvolvimento a longo prazo. Procure um especialista sempre que sentir algum sintoma ou desconforto.

Melhor idade, melhores companhias.

Como aproximar as pessoas de gerações diferentes e garantir uma relação proveitosa para ambos os lados.

Eles têm interesses e rotinas muito distintas. Mas a verdade é que a relação entre idosos e adolescentes pode trazer muitos benefícios e uma nova perspectiva de vida para todos.

Enquanto os idosos podem ganhar mais entusiasmo e vivacidade com a companhia dos jovens, os jovens podem aprender muito com as histórias de vidas dos idosos, inclusive com suas experiências e habilidades profissionais.

Relacionamos algumas dicas de como você pode estimular essa convivência tão rica.

 

– Compartilhar experiências

Eles passaram por tanto: viram guerras, sofreram com a ditadura, viram grandes manifestações. Compartilhar essa sabedoria e conhecimento ajudam os idosos a se sentirem com um propósito renovado, além de aumentar a vitalidade. Os jovens, por sua vez, que nasceram grudados no computador, podem abrir um mundo completamente novo ao entrar em contato com histórias de vida tão diferentes.

 

– Companheirismo

Isso vale para qualquer ser humano: não existe nada mais simples e agradável do que uma boa companhia para levantar o astral de alguém. O interessante aqui é a convivência e troca de universos tão interessantes. Por que não incentivar seu filho adolescente a passar o dia em uma livraria, pescando ou jogando jogos de tabuleiro com um idoso da família? Ou até incentivar o idoso a jogar video-game? Os mais velhos podem também dar aulas de uma matéria ou hobby específico. Ensinar algo sempre nos faz sentir mais úteis. E isso proporciona uma levantada na autoestima.

 

– Tolerância e um entendimento maior sobre o próprio futuro

Já é comprovado pela psicologia que a convivência com os mais velhos pode trazer uma maior aceitação das diferenças: de cultura, pensamento etc. Mais que isso, traz também uma maior valorização da saúde e da própria vida.

 

A amizade entre pessoas dessas gerações pode ser complementar. Enquanto o jovem se torna um ser humano mais compreensivo, ao aceitar a condição e limitações dos mais velhos, os idosos podem ser estimulados a novos desafios e objetivos na vida.

 

– Trocas

Um caminho de aproximação pode surgir no momento em que uma pessoa com menos idade se predispõe a trocar conhecimentos com o idoso.

A tecnologia é um bom meio para aproximá-los. Os mais velhos estão cada vez mais interessados em aprender a usar a internet, tirar e enviar fotos, mandar mensagens pelo whatsapp. Uma geração se alimenta e evolui com a outra. Essa é a graça da vida: aprender com as diferenças.