Privacidade, por favor.

Fotos de crianças em redes sociais, com hashtags ou localização, podem ser usadas por estranhos e manipuladas para terem outras finalidades na web

Quando nos tornamos mães, temos a vontade de compartilhar os mínimos detalhes sobre cada passo dos nossos bebês na internet , desde o primeiro mergulho na piscina até quando eles aprendem a usar o peniquinho. No entanto, essas imagens inocentes podem ser usadas de forma errada por estranhos online, o que tem mais chance de ocorrer com o uso de hashtags.

 

As hashtags facilitam o acesso dos estranhos às fotos dos bebês, ao tornarem-nas mais fáceis de serem encontradas na internet. Por isso, está sendo lançada uma campanha para que os pais tenham mais cuidados na hora de compartilhar fotos nas redes sociais, pela Child Rescue Coalition, uma organização em prol da proteção das crianças no meio digital.

 

Em entrevista ao site “DailyMail”, David Angelo, presidente da organização, alega que pedófilos costumam procurar por tags como #BathTime (em português, “hora do banho”), #NakedKids (“crianças nuas”) e #ToiletTraining (“treinando o toalete”) para conseguirem encontrar cliques de bebês.

 

“Enquanto os pais ficam postando fotos íntimas e detalhes sobre seus filhos nas redes, eles não têm a menor ideia do quão fácil tudo isso pode ser manipulado por ‘predadores’ online”, afirma o presidente.

 

Para manter as crianças protegidas, a organização criou a “Kids For Privacy”, campanha que incentiva os pais a compartilharem uma foto de seus filhos com uma placa escrito “privacidade, por favor”.

 

O programa alerta também para o uso de localização na hora de postar uma imagem, já que stalkers podem usar essa informação para rastrear mais informações. Além disso, o fato de que essas gerações crescerão e encontrarão muito da privacidade de suas vidas na internet pode ser perigoso para a integridade delas, segundo a campanha.

 

A questão também é abordada pela especialista australiana em maternidade Kristy Goodwin em seu livro Raising Your Child In A Digital World (“criando seu filho em um mundo digital”). Ela afirma que o lado positivo de compartilhar nas redes sociais é manter outros membros da família atualizados sobre a criança, mas que 50% das imagens em sites dos ‘predadores’ foram tiradas de redes sociais de pais.

 

Kristy encoraja os pais a deixar que suas crianças ajudem a escolher as fotos que serão compartilhadas para que eles construam o próprio “DNA digital”, sem também o uso de hashtags e localização descontrolado.

 

Alguns pais apelam ao uso de emojis como uma censura online, mas também tem de se atentar em fotos com uniforme da escola, com logos de cursos ou até que revele de forma completa ou parcial lugares que eles frequentem (casa da vó, clube, ou até sua própria casa)

 

Não é pecado você querer que a internet toda veja como seu filho é o mais lindo do mundo, mas lmebre-se: privacidade, por favor.

 

Fonte: Delas-Ig

Foto: Pexels

Férias criativas. É possível encontrar programas legais sem viajar?

Falta pouco para as férias chegarem. E mesmo se você já planejou uma viagem, é uma boa ter na manga alguns programas divertidos e culturais que vão agradar o gosto superexigente dos adolescentes. Separamos algumas dicas pra você fazer sucesso nesse período ocioso.

 

Cinema

 

Nunca falha. Em especial porque nessa época surgem muitas estreias. A dica é escolher um filme que tenha tudo a ver com o universo deles. As superproduções sempre acabam agradando a família toda. E é um programa que pode se repetir toda semana, sem ser cansativo.

 

Conhecer galerias de arte mais descoladas ou a céu aberto

 

Que tal sair um pouco do circuito museus, que às vezes os jovens consideram monótonos? São Paulo, por exemplo, conta com várias galerias modernas e descoladas, algumas inclusive a céu aberto. Um tour nos pontos artísticos da cidade – como a Vila Madalena, por exemplo – pode ser uma chance de aprendizado e diversão no mesmo programa.

 

Cursos nada óbvios

 

As férias também podem ser ricas de informação, se a opção envolver um hobby do seu filho. Já que eles são verdadeiros fanáticos em postar fotos nas redes, por que não sugerir um curso de fotografia para incrementar essa habilidade? Se o seu filho tem inclinações gastronômicas, outra dica é um curso curto para iniciar essa paixão. A cidade fica cheia de opções nessa época do ano.

 

Kart

 

Nem é preciso dizer muito. Uma tarde ou noite no kart é convite irrecusável pra todo adolescente. E o legal aqui é que a família toda pode competir. E voltar várias vezes para a revanche.

 

Dia da beleza

 

Essa é exclusiva das meninas, mas é acerto garantido. Quem não gosta de passar o dia no cabeleireiro mudando o visual ou mesmo num SPA, cuidando da beleza?

 

Shows

 

Música é sempre algo interessante nesse universo. E é legal pra você também conhecer mais sobre seu filho. Dê uma busca nos shows que estão acontecendo na sua cidade.

 

Turista por um dia

 

Quando viajamos, a primeira coisa que fazemos é pesquisar os pontos turísticos da cidade e os lugares mais interessantes. Por que será que não fazemos isso onde moramos? Com certeza há muito que vocês ainda nunca viram. Dê uma chance e conheçam lugares lindos juntos.

Tentando achar o presente mais difícil? A gente te ajuda.

Chega o Natal e, com ele, a difícil tarefa de encontrar presentes perfeitos para toda a família. Sabemos que o mais complicado provavelmente será o do seu filho adolescente. Nessa fase, os gostos ficam mais exigentes, mas algumas opções são bem seguras. Reunimos aqui algumas para ajudar você nessa busca.

 

Livros
Parece chato, mas se você encontrar um assunto que ele goste, pode ser um presente muito acertado. As sagas, livros de séries (como Game of Thrones, por exemplo) ou livros fotográficos são opções bem interessantes.

 

Maquiagem
Dica pra meninas que é sucesso. Fácil de comprar, de acertar e de trocar.

 

Celular
Se você quiser investir um pouco mais, certamente vai ser o presente mais querido de todos. Principalmente se tiver a melhor câmera do mercado.

 

Fone de ouvido
Música nessa fase é uma expressão fortíssima. E há fones no mercado que são verdadeiros desejos para os adolescentes.

 

Skate, bike ou acessórios de esporte
Se o seu filho pratica algum esporte, esse é o tipo de presente que sempre vai agradar. Se quiser investir um pouco menos, aposte nos acessórios.

A nova cara da segurança.

T-Rex já está disponível. Baixe agora.

Já está disponível para Google Play e Apple Store o app T-Rex. Um jeito prático e simples de monitorar a segurança de quem você ama.

T-Rex conta com uma série de funcionalidades para você acompanhar os passos dos seus filhos e até idosos.

Você tem acesso a um mapa particular e definir locais, limites de velocidade e muitas outras facilidades dentro do círculo que você escolher. Você pode observar seus filhos, incluir o pessoal do colégio, os pais de amigos, a babá e quem você achar importante para se sentir mais segura.

T-Rex foi feito para isso: garantir a segurança dos filhos  e a tranquilidade dos pais.

Quer conhecer mais detalhes? Clique aqui e assista o vídeo que preparamos para você.

Siga também nossas redes sociais para saber em detalhes sobre cada funcionalidade.

Facebook

Instagram 

Privacidade e segurança podem caminhar juntas?

Monitorar o caminho para a escola, as amizades no Facebook e as fotos no Instagram. Sem falar nos aplicativos específicos para saber cada passo da criança/adolescente. Isso é bom ou ruim para a relação de vocês?

 

O que pensam os especialistas ?

 

Enquanto alguns defendem ser uma solução errada, outros enxergam como uma solução moderna e altamente conectada com a realidade em que vivemos.

 

Rainer Becker, presidente da Deutsche Kinderhilfe – organização alemã de apoio à criança, alerta: “Uma criança que é constantemente monitorada vai pensar que os pais não confiam nela para nada. Como desenvolver, assim, autoestima e autoconfiança?”.

Já Ralf Kiene, de Saarbrücken, na Alemanha, vê a situação de forma diferente. Segundo ele, cerca de 50 mil “babás virtuais” já estão em ação na Alemanha, seguindo pessoas com deficiência mental, membros da família e, claro, crianças. “No caso dos jovens, a maioria dos pais usa o serviço para protegê-los, e não para espionar”, acrescenta.

 

Sem radicalismos: o melhor jeito de chegar a um acordo

 

Entre segurança e invasão de privacidade a linha é mesmo tênue. É preciso criar, aos poucos, uma estrutura de acompanhamento com a qual todos os envolvidos se acostumem. E como fazer isso?

Alguns aplicativos para monitorar os passos dos filhos já estão à disposição e ainda são controversos. A questão é escolher uma forma que não seja invasiva, que tenha uma linguagem próxima à dele. Conversando, expondo os riscos e as preocupações e, claro, mostrando que a intenção não é controlar e sim proteger. Dar dicas e munir seu filho de informações de especialistas também é importante para que ele entenda onde está inserido.

 

Dialogar, dialogar, dialogar sempre. Afinal, a primeira relação de confiança e segurança que precisa ser estabelecida é entre você e ele.