Privacidade, por favor.

Fotos de crianças em redes sociais, com hashtags ou localização, podem ser usadas por estranhos e manipuladas para terem outras finalidades na web

Quando nos tornamos mães, temos a vontade de compartilhar os mínimos detalhes sobre cada passo dos nossos bebês na internet , desde o primeiro mergulho na piscina até quando eles aprendem a usar o peniquinho. No entanto, essas imagens inocentes podem ser usadas de forma errada por estranhos online, o que tem mais chance de ocorrer com o uso de hashtags.

 

As hashtags facilitam o acesso dos estranhos às fotos dos bebês, ao tornarem-nas mais fáceis de serem encontradas na internet. Por isso, está sendo lançada uma campanha para que os pais tenham mais cuidados na hora de compartilhar fotos nas redes sociais, pela Child Rescue Coalition, uma organização em prol da proteção das crianças no meio digital.

 

Em entrevista ao site “DailyMail”, David Angelo, presidente da organização, alega que pedófilos costumam procurar por tags como #BathTime (em português, “hora do banho”), #NakedKids (“crianças nuas”) e #ToiletTraining (“treinando o toalete”) para conseguirem encontrar cliques de bebês.

 

“Enquanto os pais ficam postando fotos íntimas e detalhes sobre seus filhos nas redes, eles não têm a menor ideia do quão fácil tudo isso pode ser manipulado por ‘predadores’ online”, afirma o presidente.

 

Para manter as crianças protegidas, a organização criou a “Kids For Privacy”, campanha que incentiva os pais a compartilharem uma foto de seus filhos com uma placa escrito “privacidade, por favor”.

 

O programa alerta também para o uso de localização na hora de postar uma imagem, já que stalkers podem usar essa informação para rastrear mais informações. Além disso, o fato de que essas gerações crescerão e encontrarão muito da privacidade de suas vidas na internet pode ser perigoso para a integridade delas, segundo a campanha.

 

A questão também é abordada pela especialista australiana em maternidade Kristy Goodwin em seu livro Raising Your Child In A Digital World (“criando seu filho em um mundo digital”). Ela afirma que o lado positivo de compartilhar nas redes sociais é manter outros membros da família atualizados sobre a criança, mas que 50% das imagens em sites dos ‘predadores’ foram tiradas de redes sociais de pais.

 

Kristy encoraja os pais a deixar que suas crianças ajudem a escolher as fotos que serão compartilhadas para que eles construam o próprio “DNA digital”, sem também o uso de hashtags e localização descontrolado.

 

Alguns pais apelam ao uso de emojis como uma censura online, mas também tem de se atentar em fotos com uniforme da escola, com logos de cursos ou até que revele de forma completa ou parcial lugares que eles frequentem (casa da vó, clube, ou até sua própria casa)

 

Não é pecado você querer que a internet toda veja como seu filho é o mais lindo do mundo, mas lmebre-se: privacidade, por favor.

 

Fonte: Delas-Ig

Foto: Pexels

T-Rex quer participar da sua vida. Vamos falar sobre alertas?

Vamos relembrar o passo a passo para configurar alertas e viver muito mais tranquilo e seguro com a maior facilidade?

Se ainda não baixou nosso App, corra para a Apple Store ou Play Store. Basta clicar e instalar.

Depois, configure os alertas conforme a sua necessidade.

ALERTA LOCALIZAÇÃO

  1. Abra o T-Rex e selecione a pessoa de quem você gostaria de receber os alertas. Clique no ícone de configurações.
  2. Ative o alerta “Geo Fencing Alerts” e clique em “Add a new Geo Fencing alert”.
  3. Nomeie o lugar do qual você deseja receber a notificação (ex: casa, farmácia, clube) e escreva o endereço do local em “Procurar endereço”.
  4. Defina se você quer ser avisado quando a pessoa chegar ou sair do local e quantos metros de raio entorno deste local para que o alerta seja emitido
    (ex: receber alerta quando a pessoa sair do raio de 450m de casa).
  5. Selecione os dias da semana e o horário que você quer ser avisado. Depois é só clicar em “adicionar” e então em “salvar”.

ALERTA CHOQUE

  1. Abra o T-Rex e selecione a pessoa de quem você gostaria de receber os alertas. Clique no ícone de configurações.
  2. Ative o alerta “Detecção de choque” e clique em “Salvar”.

ALERTA DE BATERIA

  1. Abra o T-Rex e selecione a pessoa de quem você gostaria de receber os alertas. Clique no ícone de configurações.
  2. Ative o alerta “Nível mínimo de bateria” e defina quanto de bateria a pessoa precisa ter para você ser avisado (Ex: 15%). Depois é só clicar em “Salvar”.

Já sabemos quem vai ganhar nessa Copa: você.

Acompanhe as pessoas que você ama com T-Rex e ganhe toda a tranquilidade durante o mundial.

 

Filhos adolescentes vendo os jogos na casa de amigos ou bares, idosos na rua, confusão na cidade. Não fique insegura durante esse período cheio de diversão. A solução é simples. Com T-Rex você pode acompanhar todas as pessoas que quiser e ainda configurar alertas para saber em que momento eles saíram do destino ou se ultrapassaram a velocidade permitida.

 

Tudo muito prático, seguro e na palma da mão.

 

Se você ainda não baixou T-Rex, basta procurar na Apple Store ou Google Play. Ativar os alertas é intuitivo e simples. Veja como configurar o alerta de mudança de localização, por exemplo:

 

  1. Abra o T-Rex e selecione a pessoa para quem deseja configurar o alerta. Clique no ícone de configurações.

 

  1. Clique em ativar alertas e busque o alerta desejado (Alerta de lugar / Geo Fencing Alerts).

 

  1. Ative o alerta de lugar e clique para adicionar um alerta de Geo Fencing.

 

  1. Digite o nome para este lugar, o endereço, selecione o raio de alcance, selecione se deseja receber o alerta quando a pessoa entrar ou sair do lugar, dias da semana e o período do dia.

 

  1. Clique em adicionar e, em seguida, salve as configurações.

 

Pronto. Você receberá este alerta sempre que a pessoa entrar ou sair do lugar que você definiu, de acordo com a configuração

Lembra daquela Copa?

Ative a memória do idoso que você ama com dicas simples.

 

A Copa está chegando e, com ela, muitas possibilidades de diversão. Inclusive para os idosos.

 

Sabemos que, com o tempo, nossa capacidade cognitiva e de memorização vão diminuindo por vários fatores. É aí que aparecem as doenças ligadas à perda de memória – sendo o Alzheimer a mais grave delas, que causam receio em toda a família. Essa preocupação é válida. Afinal, a perda de memória limita muito a independência do idoso.

 

Para retardar esse processo e manter a mente em boa forma, podemos incluir na rotina dele exercícios que estimulam o poder de concentração e de foco, ativando a memória. E o melhor: esses exercícios podem ser feitos de forma superdivertida, antes e durante o Mundial, e até na companhia de adolescentes.

 

Tentar adivinhar o nome dos jogadores pode ser uma brincadeira interessante durante os jogos. Aproveite que seu filho deve saber o nome de todos e promova um desafio familiar, envolvendo os idosos. Estabeleça momentos de aprendizado durante a semana para que vocês possam brincar durante as partidas e ele se prepare sem saber que está fazendo um exercício potente para o cérebro.

 

O tão famoso álbum de figurinhas também pode ser uma atividade muito saudável. Enquanto a família toda se envolve, você pode fazer perguntas e incentivar a colagem nos locais corretos. Funciona quase como um jogo da memória e pode atrair muito seus queridos.

 

É importante dizer que, paralelamente a essas atividades, é fundamental a conexão das relações afetivas. Esteja perto. Essa é a prevenção mais efetiva e poderosa em qualquer idade.

Coisa de vovó?

Como aprender tricô se tornou uma atividade cool, conquistando até adolescentes.

 

Para muita gente, tricotar é coisa de vó, mas a verdade é que fios e agulhas unem meninas, mulheres e senhoras apaixonadas por essa técnica que há um tempo virou moda e segue firme e forte na preferência dos hobbies. Em muitos casos, virou até trabalho.

Que tal aproveitar a chegada do outono e a proximidade do inverno para aprender a tricotar e quem sabe até ganhar dinheiro – ou no mínimo cachecóis, casacos e golas lindos feitos por você? E mais, é a atividade perfeita para unir as pessoas da família de qualquer idade.

Como se não bastasse, a atividade faz tão bem para a mente que algumas terapias até adotaram o tricô como exercício complementar de recuperação. Tricotar exercita a agilidade do cérebro, ao mesmo tempo que melhora a estabilidade emocional.

Quer conhecer alguns dos benefícios?

Reduz a ansiedade: isso acontece porque precisamos de muita concentração para fazer cada pontinho. Enquanto estamos lá, olhando para as agulhas, sem perceber tranquilizamos as emoções e neutralizamos sentimentos negativos. É quase o mesmo efeito da meditação.

Melhora a agilidade do cérebro: claro, qualquer atividade que requer coordenação mental e motora potencializa a atividade cerebral. Esse fato faz com que a técnica seja especialmente poderosa para pessoas mais idosas, pessoas com artrite ou reumatismo e para crianças com distúrbios motores.

Sociabilidade sem nó: como é uma ótima atividade em grupo, o tricô reúne grupos de prática e ajuda a trocar ideias e compartilhar experiências com outras pessoas.

Auto estima: toda nova habilidade faz a gente se sentir mais capaz. Além disso, o tricô é uma maneira de manifestar carinho, quando feito para amigos e familiares. É um meio para criar algo lindo, criativo e autoral. Pesquisas mostram que o tricô ajudou a melhorar os sintomas de muitas pessoas com depressão. Isso porque sua prática também libera serotonina.

Já comprou as agulhas? Que tal convidar seus filhos e idosos queridos para um grupo e produzir peças lindas para o outono?